Polícia prende suspeito de envolvimento no atentado de Berlim

Tunisiano de 40 anos é detido na capital alemã. Polícia acredita que ele seja um contato de Anis Amri, pois telefone dele estava no celular encontrado no local do ataque.Um suspeito de estar envolvido no atentado ao mercado natalino em Berlim foi preso nesta quarta-feira (28/12) na capital alemã, afirmou a Procuradoria Federal da Alemanha. O detido, de 40 anos, é tunisiano e vive na cidade. Ele seria um contato do suspeito de ser o autor do ataque, o tunisiano Anis Amri. O número do homem estava gravado no celular de Amri, o qual foi encontrado no local do atentado. Investigadores realizaram ainda uma operação de busca no apartamento e no local de trabalho do suspeito, no bairro Tempelhof, segundo o site alemão Spiegel Online. A polícia procura por indícios que revelem se o detido está realmente envolvido no ataque e qual teria sido sua participação. "Novas investigações determinarão até que ponto as suspeitas poderão se concretizar", destacou a procuradoria, em comunicado, sem dar mais detalhes. O atentado ao mercado de Natal na praça Breitscheidplatz, no bairro de Charlottenburg, deixou 12 mortos e mais de 50 feridos no dia 19 de dezembro. Amri foi morto pela polícia italiana na cidade de Sesto San Giovanni, nos arredores de Milão, na sexta-feira. Imagens de câmeras de segurança mostraram que ele passou pela França antes de seguir para a Itália. A polícia holandesa disse nesta quarta-feira que Amri pode ter passado pela Holanda antes de seguir para a França. O porta-voz da procuradoria disse que há índicos da passagem do suspeito pelo país. Segundo a emissora de televisão francesa BFM TV, Amri teria embarcado dois dias depois após o ataque num ônibus da companhia Flixbus na estação holandesa de Nimègue, muito próxima da fronteira com a Alemanha. De lá, ele seguiu para a estação de Lyon-Part Dieu, na França, onde foi gravado pelas câmeras de vigilância e comprou com dinheiro uma passagem de trem com destino a Milão. Para os investigadores, a França aparece somente como um país de passagem depois dessas primeiras 15 horas de trajeto em ônibus, de acordo com a emissora, que acrescentou que não há nenhuma evidência de que o suspeito teria cúmplices na França. Segundo a agência de notícias DPA, um chip de celular da Holanda foi encontrado na mochila de Amri por policiais italianos. Investigadores ainda tentam descobrir como Amri deixou a Alemanha depois do ataque. CN/dpa/afp/rtr/efe

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos