Filho de Trump vira peça-chave em investigações

Durante as eleições, Trump Jr. recebeu e-mail sobre esforços do Kremlin em ajudar a campanha de seu pai. Mensagem foi enviada menos de uma semana antes dos ciberataques russos ao comitê democrata.Novas denúncias divulgadas nesta terça-feira (11/07) reforçaram ainda mais a existência de um suposto elo entre o Kremlin e a campanha do hoje presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Segundo reportagem do New York Times, o filho mais velho do magnata, Donald Trump Jr., foi informado por e-mail durante as eleições de que receberia um material comprometedor sobre a candidata rival, Hillary Clinton, como parte de um esforço do governo russo para ajudar a candidatura de seu pai. A revelação é mais um desdobramento da notícia sobre o encontro de Trump Jr., no ano passado, com a advogada Natalia Veselnitskaya. No domingo, o filho do presidente americano havia admitido ter se encontrado com a jurista russa na Trump Towers no dia 9 de junho, sob a promessa de obter informações que poderiam abalar Hillary. Ele não fez, porém, nenhuma menção sobre ter conhecimento de que ela fosse uma enviada do Kremlin. Nesta terça, um artigo do NYT afirmou que, antes de agendar o encontro, Trump Jr, recebera um e-mail do britânico Rob Goldstone, assessor de imprensa e ex-repórter que havia intermediado a reunião. Segundo três fontes cientes do conteúdo do e-mail, a mensagem sugeria que Moscou estava por trás das informações potencialmente destrutivas. A reunião ocorreu menos de uma semana antes da divulgação de que hackers russos haviam invadido servidores do comitê democrata. O diário ressalta, no entanto, que não há evidências que indiquem a relação entre o prometido material e os ciberataques. O e-mail deverá ser uma peça-chave para os investigadores que atualmente analisam se houve conluio entre a equipe da campanha de Trump e o governo russo para influenciar o resultado das eleições presidenciais do ano passado. Alan Futerfas, advogado de Trump Jr., disse que seu cliente não fez nada de errado, mas prometeu colaborar com os investigadores caso seja contatado. "Na minha opinião, isso tudo é muito barulho por nada. Durante esse período conturbado, Robert Goldstone entrou em contato com Trump Jr. por e-mail e sugeriu que havia informações sobre supostos delitos cometidos por Hillary Clinton à frente do Partido Democrata, em seus tratos com a Rússia ", disse ele ao periódico. "A conclusão de Trump Jr. a partir dessa comunicação era de que alguém tinha informações potencialmente úteis para a campanha e era alguém que ele conhecia. Trump Jr. não tinha conhecimento de quais informações específicas, caso houvessem, seriam discutidas", completou. IP/ots

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos