Israel volta a restringir entrada de palestinos no Monte do Templo

Homens menores de 50 anos são vetados de acessar complexo sagrado em Jerusalém. Local vem sendo palco de confrontos nos últimos dias, o que fez com que uma série de medidas de segurança especiais fossem implementadas.O governo de Israel proibiu a entrada de palestinos com idade abaixo dos 50 anos no Monte do Templo, em Jerusalém Oriental, nesta sexta-feira (28/07). O motivo é evitar novos confrontos entre fieis e forças de segurança no recinto sagrado, que tem sido palco de embates. "Só se permitirá [o acesso] a homens maiores de 50 anos e mulheres de todas as idades", declarou a polícia num comunicado. Leia mais: Monte do Templo sintetiza conflito entre israelenses e palestinos As orações de sexta-feira são o momento mais importante da semana religiosa muçulmana. Milhares de muçulmanos de Israel e da Palestina se deslocam ao complexo na Cidade Velha para rezar. Nesta sexta, cerca de 10 mil pessoas fizeram orações no local e não houve registro de violência. O complexo sagrado estava com acesso restrito desde o último dia 14, quando dois policias israelenses foram mortos por três agressores árabe-israelenses, que foram executados por forças de segurança. Devido ao atentado, Israel fechou temporariamente o Monte do Templo. No dia 15, o governo anunciou que o local seria reaberto, mas com dispositivos de segurança, como detectores de metais e câmeras, nos portões de acesso. No dia 21, a polícia de Israel bloqueou a Cidade Antiga de Jerusalém, onde fica o Monte do Templo, para homens com menos de 50 anos. Protestos de grande escala aconteceram ao redor da Cidade Antiga e na Cisjordânia, com registro de confrontos entre forças de segurança e manifestantes. No dia 25, temendo que a violência aumentasse ainda mais e em meio à forte pressão internacional, o governo de Israel decidiu retirar os detectores de metal e as câmeras de segurança dos portões de entrada do Monte do Templo. A retirada foi concluída nesta quinta-feira, quando mais de cem palestinos e um policial israelense ficaram feridos em confrontos depois que milhares de palestinos se dirigiram ao Monte do Templo para rezar. O local, que também é conhecido como Esplanada das Mesquitas, é sagrado tanto para muçulmanos quanto para judeus. A polícia diz que palestinos começaram a atirar pedras e revidou com balas de borracha e gás lacrimogêneo. A medida para restringir o acesso de pessoas com menos de 50 anos foi tomada nesta sexta-feira depois de a polícia descobrir que um grupo de palestinos se escondeu na mesquita Al Aqsa, planejando uma manifestação para esta sexta-feira. Eles foram retirados do local. "A polícia tirou da área as pessoas que planejavam passar a noite na mesquita de Al Aqsa e participar das manifestações no Monte do Templo hoje", disse em comunicado o porta-voz policial, Micky Rosenfeld. O governo de Israel enviou reforço policial a Jerusalém Oriental e limitou o tráfego nas vias ao redor da Cidade Velha. KG/efe/dpa/lusa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos