PUBLICIDADE
Topo

Checkpoint Berlim: A fazenda urbana mais famosa de Berlim

Clarissa Neher

31/07/2017 06h58

Movimentado cruzamento no bairro de Kreuzberg esconde Jardim das Princesas, um oásis verde no meio da cidade. Cerca de 500 tipos de legumes, verduras, temperos e frutas são cultivados por voluntários no local.Trânsito intenso, barulho de buzinas de carros e poluição se concentram na Praça Moritz, no bairro de Kreuzberg. Mas o movimentado cruzamento abriga também um quase escondido oásis de tranquilidade: o Jardim das Princesas (Prinzessinnengarten, em alemão).Engana-se quem pensa que se trata de um parque de contos de fadas. O Jardim das Princesas é o mais conhecido projeto de fazenda urbana de Berlim, aberto a todos que desejam conhecê-lo ou participar da iniciativa.Além da fazenda, o espaço de 6 mil metros quadrados possui um café ao ar livre, uma área para eventos culturais, uma pequena biblioteca e uma boutique com roupas para doação.Cerca de 500 tipos de legumes, verduras, temperos e frutas são cultivados de forma orgânica em engradados. A minifazenda se tornou um ponto de encontro para os moradores de Kreuzberg, bem como um projeto modelo para diversas cidades alemãs.Apesar do sucesso atual, o projeto já esteve ameaçado. Idealizada em 2009 pelo documentarista Robert Shaw e pelo historiador Marco Clausen, a minifazenda surgiu num terreno da prefeitura alugado, que não era usado há décadas e estava tomado por lixo. Dezenas de voluntários ajudaram a tocar a ideia e a limpar a região.O projeto foi abraçado pelos moradores do bairro e ia muito bem, até que, em 2012, a prefeitura recebeu uma proposta de vender o terreno. A venda seria o fim do Jardim das Princesas e do oásis verde no meio da cidade.Com o apoio da população, por meio de um abaixo-assinado com mais de 30 mil assinaturas, os idealizadores do projeto conseguiram impedir o negócio e preservar a área comunitária por mais cinco anos. Atualmente, a entidade filantrópica que administra a minifazenda negocia a renovação do aluguel do terreno por mais cinco anos.Para o cultivo dos vegetais, o Jardim das Princesas conta principalmente com voluntários, tendo somente alguns poucos funcionários. A minifazenda é financiada pela venda dos vegetais produzidos no local e doações.Clarissa Neher é jornalista freelancer na DW Brasil e mora desde 2008 na capital alemã. Na coluna Checkpoint Berlim, publicada às segundas-feiras, escreve sobre a cidade que já não é mais tão pobre, mas continua sexy.