PUBLICIDADE
Topo

Mortos em protestos palestinos na fronteira da Faixa de Gaza

30/03/2019 13h46

"Marcha de 1 Milhão", convocada pelo Hamas, leva dezenas de milhares de palestinos à cerca que separa região de Israel. Protesto marca um ano de manifestações semanais pelo direito de retornar a terras ocupadas.Cerca de 40 mil palestinos protestam neste sábado (30/03) na cerca que divide os territórios de Gaza de Israel, em celebração do primeiro ano da "Grande Marcha do Retorno" ou "Marcha de 1 Milhão". Os protestos semanais no local começaram em 30 de março de 2018, oficialmente organizados pela sociedade civil, mas contando com o apoio do movimento radical palestino Hamas, que controla a Faixa de Gaza.

Os palestinos exigem o direito a regressar às terras que abandonaram ou de onde foram expulsos quando da criação do Estado de Israel em 1948, e contestam o rígido bloqueio imposto pelos israelenses ao enclave há mais de dez anos.



Os protestos já causaram duas mortes entre os palestinos. Adam O'Marrah, de 17 anos, recebeu um disparo na cabeça dos soldados de Israel. Pela manhã, outro jovem, de 21 anos, morrera após ser atingido por tiros durante os protestos noturnos da sexta-feira, na barreira entre os dois territórios. Os militares também usam meios como gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes.

A Meia-Lua Vermelha palestina informou, ainda, que cerca de uma centena de manifestantes ficaram feridos, dez dos quais por disparos, nos confrontos com o Exército. Pelo menos 259 palestinos foram mortos pelas armas israelenses no último ano, a grande maioria durante as manifestações junto à cerca de segurança, das quais milhares participam, semana após semana.

AV/efe,lusa

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram | Newsletter