PUBLICIDADE
Topo

Maria Sharapova anuncia sua aposentadoria aos 32 anos

26/02/2020 21h02

Maria Sharapova anuncia sua aposentadoria aos 32 anos - Em comunicado, tenista russa diz que depois de 28 anos está pronta para "competir num terreno diferente". Nascida na Sibéria, ela alcançou o estrelato ao vencer o torneio de Wimbledon em 2004.A tenista russa Maria Sharapova anunciou nesta quarta-feira (26/02) a sua aposentadoria aos 32 anos. O anúncio foi feito num comunicado publicado nas revistas Vogue e Vanity Fair.

Nascida na Sibéria, Sharapova alcançou o estrelato ao se tornar a primeira russa a vencer o torneio de Wimbledon em 2004, aos 17 anos. Vencedora de cinco Grand Slams, chegou a ser a atleta mais bem paga do mundo até ser superada pela tenista Serena Williams.

"Sou nova nisso, então, por favor, perdão. Tênis, estou dizendo adeus", escreveu Sharapova no comunicado. Sua decisão não é uma grande surpresa, desde que retornou as quadras em 2017, depois de ser banida por 15 meses após ser flagrada em exame antidoping durante o Aberto da Austrália, seu desempenho não era um dos melhores.

A ex-número 1 do mundo jogou apenas duas partidas neste ano, perdendo na primeira rodada do Aberto da Austrália e figura atualmente apenas na 373ª colocação no ranking da Associação de Tênis Feminino (WTA).

"Olhando para trás, percebo que o tênis tem sido minha montanha. Meu caminho tem sido cheio de vales e desvios, mas as vistas do seu pico foram incríveis", escreveu. "Depois de 28 anos e cinco Grand Slams, estou pronta para escalar outra montanha, para competir num terreno diferente", acrescentou.

A estrela russa completou sua carreira no Grand Slam, quando ganhou o Aberto da França, em 2012. Dois anos depois, ela venceu novamente o Roland Garros, seu maior título. Sharapova entrou para a história como a primeira mulher russa a alcançar o primeiro lugar no ranking em 2005 e a conquistar o Aberto dos Estados Unidos em 2006.

Sharapova entrou em quadra pela última vez durante a primeira rodada do Aberto da Austrália deste ano, quando perdeu para a croata Donna Vekic. No texto, ela admitiu que as lesões recentes se tornaram um empecilho para que a carreira tivesse sequência. "Meu corpo se tornou uma distração", escreveu.

A tenista fez sucesso dentro e fora das quadras, tornando-se uma das atletas mais bem pagas dos últimos 15 anos. O pior momento da carreira foi a punição por doping pelo consumo de Meldonium, que a manteve longe das quadras de janeiro de 2016 a abril do ano seguinte. Depois disso, conquistou apenas mais um troféu, no WTA International de Tianjin, na China, em 2017.

Segundo a revista Forbes, a estrela russa foi a atleta feminina mais bem paga do mundo por 11 anos consecutivos até 2016. Ela também se estabeleceu como empresária e lançou uma marca própria de doces e afirmou nesta quarta-feira que continuará perseguindo vitórias.

"Não importa o que esteja por vir, eu vou investir o mesmo foco, a mesma ética de trabalho e todas as lições que aprendi ao longo do caminho", escreveu.

CN/efe/rtr/afp

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube
| App | Instagram | Newsletter

Notícias