Topo

ONU eleva para US$ 348 milhões ajuda para afetados pelo tufão "Haiyan"

2013-11-22T20:26:00

22/11/2013 20h26

Nações Unidas, 22 nov (EFE).- A ONU elevou nesta sexta-feira seu pedido de ajuda para os afetados pelo tufão "Haiyan" nas Filipinas para US$ 348 milhões em uma nova chamada à comunidade internacional de doadores para atender as necessidades do país.

A subsecretária geral das Nações Unidas para Assuntos Humanitários, Valerie Amos, deu os novos números em seu retorno a Nova York após terminar sua segunda visita às Filipinas.

A ONU tinha estimado inicialmente em US$ 301 milhões o volume de dinheiro necessário para o Plano de Ajuda Humanitária de recuperação das Filipinas dos efeitos do tufão, um dos piores da história recente.

Valerie disse que até o momento 40% do valor já foi arrecadado, e que nos próximos dias voltará a revisar para cima o pedido de ajuda porque há muitas áreas afetadas que ainda não puderam ser visitadas.

Ela, que é responsável pela ajuda humanitária das Nações Unidas, disse também que na sede do organismo será realizado hoje um ato para arrecadar fundos para as vítimas que contará com a participação do DJ francês David Guetta.

O tufão "Haiyan" afetou milhões de pessoas, cerca de cinco milhões de crianças e adolescentes, além de destruir um milhão de imóveis que deixaram sem lar quatro milhões de pessoas.

"Estou muito preocupada porque nestes momentos há 1,5 milhão de criança que estão em risco de sofrer quadros de desnutrição aguda e cperto de 800 mulheres grávidas que precisam de apoio nutricional", acrescentou.

Fazem falta especialmente alimentos, água potável e remédios, ainda há muitas pessoas que estão sem abrigo e disse que muitas famílias precisarão de ajuda a longo prazo para reconstruir suas casas.

"Um desastre em massa com estas características requer uma resposta em massa da comunidade internacional", acrescentou Amos, que reiterou sua chamada à comunidade internacional para seguir apoiando às autoridades filipinas.

O tufão "Haiyan", que arrasou o país no último dia 8 com ventos de até 315 km/h, foi o tufão mais forte registrado e o terceiro desastre natural mais mortífero na história recente das Filipinas.

Segundo o último balanço oficial, o número de mortos pela passagem do tufão subiu para 5.209, além de ainda haver 1.582 desaparecidos e 24.716 feridos, indicou hoje o Conselho Nacional para a Redução de Risco e Gestão de Desastres.

Mais Notícias