Topo

Morre o presidente do Santander, Emilio Botín

10/09/2014 05h07

Madri, 10 set (EFE).- O presidente do Grupo Santander, Emilio Botín, morreu na noite de terça-feira, aos 79 anos, comunicou a entidade financeira à Comissão Nacional do Bolsa de Valores (CNMV) nesta quarta.

Em comunicado, o Santander indicou que hoje a comissão de nomeações e retribuições e o conselho de administração se reunirão para designar ao novo presidente do Banco.

Nascido em 1 de outubro de 1934 em Santander, Botín foi herdeiro da tradição financeira de sua família, já que seu avô e seu pai também foram presidentes do Banco Santander, e começou a dirigir a entidade bancária em 1986, e foi um dos responsáveis pela sua expansão internacional.

Formado em Direito e Economia pela Universidade de Deusto, Emilio Botín ingressou aos 24 anos no Banco Santander, onde ocupou os postos de representante dos serviços centrais e de subdiretor-general.

Conselheiro do Banco Santander desde 1960, quatro anos depois foi nomeado diretor-geral e em 1971 foi eleito segundo vice-presidente do conselho de administração da entidade financeira.

Membro da Comissão Executiva do Banco Santander desde 1964, foi designado executivo-chefe em 1977.

Em 19 de novembro de 1986 foi nomeado presidente do Banco Santander e se tornou em um dos poucos gerentes financeiros que além de assumir a presidência da entidade, era seu principal executivo e máximo acionista.

Sua gestão se caracterizou pela estratégia de conquista do mercado internacional e por um processo de fusões e aquisições nacionais para conseguir a liderança entre os bancos espanhóis.

Emilio Botín era casado com Paloma O'Shea Artiñano e tinha seis filhos. Uma delas, Ana Patricia, dirige a filial britânica do Grupo Santander, Santander UK.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Newsletters

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero receber