PUBLICIDADE
Topo

Presidente do Mali pede que cidadãos "não baixem a guarda" após ataque

21/11/2015 14h39

Bamaco, 21 nov (EFE).- O presidente do Mali, Ibrahim Boubacar Keita, pediu aos cidadãos malineses que "não baixem a guarda" após o ataque realizado na sexta-feora por um grupo jihadista em um hotel em Bamaco no qual morreram 19 reféns e dois terroristas, e várias pessoas ficaram feridas.

Em declaração à imprensa após uma visita ao hotel Radisson Blu, onde aconteceu o ataque, e ao hospital Gabriel Touré, onde estão internados os feridos, Keita repudiou o ataque, cujos autores "decidiram romper com a humanidade", lamentou.

"Os jihadistas não compartilham os mesmos valores que nós porque desconhecem o valor da vida", disse o líder malinês ao pediu que os cidadãos do país aumentem a precaução.

Keita agradeceu o trabalho e o "profissionalismo" das forças de segurança malinesas e internacionais nas operações de resgate dos reféns.

Vários jihadistas entraram ontem no hotel Radisson Blu, na capital malinesa, onde estavam hospedadas várias delegações internacionais, e mantiveram 170 reféns durante horas.

O governo do Mali decretou desde ontem um estado de emergência por dez dias no país e um luto nacional de três dias.

As autoridades malinesas continuam em busca de três suspeitos envolvidos no ataque, que foi reivindicado de forma conjunta pelos grupos jihadistas Al Mourabitoun e Al Qaeda do Magrebe Islâmico.

Notícias