Opinião da ONU sobre Assange "não muda nada", diz Reino Unido

Em Londres

  • Francois Lenoir/Reuters

O Reino Unido considera que a opinião do Grupo de Trabalho da ONU sobre Detenções Arbitrárias sobre o caso do fundador do Wikileaks, Julian Assange, "não muda nada", afirmou nesta sexta-feira (5) o Ministério britânico das Relações Exteriores.

O grupo de trabalho da ONU considerou nesta sexta-feira que a detenção de Assange, que está refugiado na Embaixada do Equador em Londres desde 2012, é "arbitrária" e que essa decisão é "juridicamente vinculativa".

No entanto, a Chancelaria especificou que rejeita "completamente" a opinião do grupo sobre o caso e lembrou que já tinha antecipado à ONU que não a assumiria.

"Isto não muda nada. Rejeitamos completamente qualquer afirmação de que Julian Assange é vítima de uma detenção arbitrária. O Reino Unido já tinha deixado claro à ONU que não assumiria a opinião do grupo de trabalho", afirmou hoje um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores.

A fonte acrescentou que o fundador do Wikileaks "nunca foi detido de maneira arbitrária no Reino Unido. A opinião do Grupo de Trabalho da ONU ignora os fatos e as proteções bem reconhecidas do sistema legal britânico".

Assange se refugiou na embaixada do Equador para evitar que as autoridades britânicas o extraditassem para a Suécia, país que solicitou sua entrega em relação aos supostos delitos de agressão sexual, que o jornalista nega.

O porta-voz do ministério acrescentou que ainda está em vigor uma ordem europeia de detenção, por isso que o Reino Unido tem a "obrigação legal de extraditá-lo para a Suécia".

"Sentimo-nos profundamente frustrados que se permita continuar com esta situação inaceitável. O Equador deve abordar (isto) de boa-fé com a Suécia para que isto chegue ao fim", ressaltou o porta-voz das Relações Exteriores, acrescentando que continua tratando este assunto com as autoridades de Quito.

O Grupo de Trabalho da ONU também solicita às autoridades britânicas uma compensação para Assange.

Caso Wikileaks
Caso
Wikileaks

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos