Filha de Ledezma diz que governo venezuelano não tem provas contra seu pai

Genebra, 22 fev (EFE).- O governo venezuelano carece de provas que acusem o prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, detido há um ano por suposta conspiração e associação criminosa, segundo denunciou nesta segunda-feira sua filha Antonieta Ledezma.

"Esta é uma batalha que não tem fronteiras. Irei onde for necessário para defender a dignidade de meu pai. É um homem inocente e até o dia de hoje não há nem uma só prova que demonstre que seja um conspirador", disse Antonieta Ledezma em um evento sobre direitos humanos na sede da ONU em Genebra.

Antonio Ledezma, de 60 anos, foi detido em 19 de fevereiro de 2015 e enfrenta uma pena de 26 anos de prisão por um suposto plano golpista contra as autoridades.

"O governo sempre tentou nos intimidar, nos silenciar, mas estamos aqui e iremos onde for necessário para defender meu pai e os outros 77 presos políticos na Venezuela", declarou Antonieta Ledezma.

A filha do prefeito esclareceu que ela não é política e nem pretende ser, mas que desde que detiveram seu pai, teve a opção "de ter medo ou falar alto e defender seus direitos humanos".

"Hoje há mais presos políticos na Venezuela do que em Cuba", sustentou Antonieta Ledezma durante seu discurso, junto a outros defensores de direitos humanos de diferentes países, em um evento organizado pela ONG UN Watch, com o auspício dos governos do Canadá e Estados Unidos e República Tcheca.

Ao ato foi originalmente convidada a esposa de Ledezma, Mitzy Capriles, que não pôde comparecer porque contraiu zika, segundo explicou sua filha ao início de seu discurso.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos