Apuração indica cenário com menos extremistas e mais moderados no Irã

Álvaro Mellizo.

Teerã, 27 fev (EFE).- O Irã começou a divulgar neste sábado os primeiros resultados das eleições de ontem, que, faltando uma confirmação oficial, apontavam para uma menor presença de extremistas do grupo "principalista" e um aumento de independentes, moderados e reformistas no parlamento.

A lenta publicação dos resultados das eleições ao parlamento e à Assembleia de Especialistas foi desenhando pouco a pouco um novo cenário no Poder Legislativo da República Islâmica em favor das políticas moderadas do presidente Hassan Rohani, apesar de também deixar um núcleo duro e numeroso de principalistas.

Segundo os números provisórios divulgados pelo Ministério do Interior e estimativas realizadas pela imprensa iraniana, sem computar ainda o resultado de Teerã, a maior circunscrição do país, e de outros grandes centros urbanos, os principalistas teriam obtido um mínimo de 75 cadeiras, frente a 48 dos reformistas e 55 dos candidatos independentes.

No parlamento atual, os principalistas contam com 167 deputados, frente a 88 independentes, um amplo grupo que contém várias tendências, entre elas a dos cinco deputados das minorias religiosas, mas que tende mais para a moderação e que durante esta legislatura apoiou o presidente Rohani.

O setor reformista, por sua vez, agrupa atualmente 26 deputados.

Candidatos do bloco moderado e reformista foram cautelosos ao avaliar este resultado provisório em declarações à Agência Efe e assinalaram que ainda falta saber o que acontece em Teerã, onde estão depositadas suas maiores esperanças.

Em qualquer caso, consideraram um "bom avanço", sobretudo a possibilidade de que o parlamento resultante da votação poderá facilitar o trabalho do governo de Rohani.

Quanto à Assembleia de Especialistas, o organismo composto por 88 clérigos xiitas encarregado de supervisionar o trabalho do líder supremo e, se for o caso, escolher a seu sucessor, também deixou um sabor agridoce para os reformistas.

Os resultados provisórios desta votação em Teerã apontam para uma vitória indiscutível do ex-presidente Hashemi Rafsanyani e de Rohani, que como líderes do bloco moderado-reformista dominaram com seus candidatos a apuração na maior circunscrição do país.

Assim, 13 dos 16 clérigos que a capital envia à câmara fazem parte da lista liderada porRafsanyani e Rohani.

No entanto, esse êxito parcial não impediu que ficassem fora da câmara todos os candidatos "principalistas" por Teerã, um dos objetivos declarados da campanha deste setor.

Em qualquer caso, os resultados em outras circunscrições para a Assembleia também apontavam que o organismo estará dominado por clérigos conservadores, mas entre os quais as posições mais extremas ficaram isoladas.

As estimativas oficiais cifraram a participação em 33 milhões de eleitores, aproximadamente 60% do censo eleitoral.

As mesas eleitorais de Teerã fecharam ontem após quase 16 horas de votação e cinco prorrogações sobre o horário estabelecido devido à grande afluência de eleitores que participaram do pleito.

Quase 55 milhões de iranianos foram convocados para estas eleições. A votação transcorreu com normalidade e total tranquilidade ao longo da jornada.

A campanha eleitoral, de apenas uma semana, se centrou em temas econômicos, nos pedidos de voto útil e nas tentativas conservadoras de desprestigiar os aliados de Rohani, favoritos para reafirmar no parlamento a progressiva abertura do país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos