PUBLICIDADE
Topo

EI assume autoria de ataque suicida que deixou mais de 20 mortos em Bagdá

Homem limpa chão ensanguentado no local onde ocorreu um ataque suicida que deixou pelo menos 21 mortos e 35 feridos, na região de maioria xiita de Al Kazemiya, no norte de Bagdá - Sabah Arar/AFP
Homem limpa chão ensanguentado no local onde ocorreu um ataque suicida que deixou pelo menos 21 mortos e 35 feridos, na região de maioria xiita de Al Kazemiya, no norte de Bagdá Imagem: Sabah Arar/AFP

Em Bagdá

24/07/2016 11h43Atualizada em 24/07/2016 12h06

O grupo terrorista Estado Islâmico reivindicou neste domingo (24) a autoria do ataque suicida ocorrido na região de maioria xiita de Al Kazemiya, no norte de Bagdá, no qual morreram pelo menos 21 pessoas e 35 ficaram feridas.

Em comunicado divulgado pelo braço do EI em Bagdá, denominado "Wilayat Baghdad" (província de Bagdá), o grupo garantiu que um de "seus soldados", identificado como Abu Tirab al Iraqui, realizou o atentado a um grupo de membros do Exército e da milícia governamental Multidão Popular.

Segundo a organização terrorista, que divulgou o comunicado nas redes sociais, no ataque morreram ou foram feridos um total de 50 militares na praça de Aden, na região de Al Kazemiya.

Uma fonte dos serviços de segurança disse à Agência Efe que um terrorista suicida detonou seu colete com explosivos nessa praça, que fica no bairro de maioria xiita.

A explosão também destruiu vários veículos e afetou edifícios próximos.

Em Al Kazemiya está o mausoléu xiita de Moussa al Kazem, um dos doze imãs deste ramo do islã.