Envolvidos em tensões, chanceleres do Japão, China e Coreia do Sul se reúnem

Tóquio, 23 ago (EFE).- Os ministros das Relações Exteriores do Japão, China e Coreia do Sul se reunirão na quarta-feira, na capital japonesa, para tentar estreitar seus laços trilaterais, em um encontro marcado pela tensão entre Tóquio e Pequim pelos recentes incidentes em torno das disputadas Ilhas Senkaku.

O ministro japonês, Fumio Kishida, e seus colegas sul-coreano e chinês, Yun Byung-se e Wang Yi, respectivamente, centrarão suas discussões na cooperação econômica e em coordenar a resposta perante os últimos desenvolvimentos de armamentos da Coreia do Norte, disseram fontes do Executivo japonês à agência local "Kyodo".

Os três ministros também devem realizar hoje em Tóquio um jantar prévia do encontro de amanhã, informou o Ministério das Relações Exteriores do Japão.

Estas reuniões trilaterais se realizam de forma anual e com sede rotatória entre os países vizinhos, apesar de terem sido suspensas entre 2012 e 2015, devido ao agravamento das relações na região.

Além disso, a visita de Wang é a primeira de um ministro chinês das Relações Exteriores desde que o presidente Xi Jinping assumiu o poder no ano de 2013, e ocorre em um momento em que aumentou a tensão entre os países vizinhos após as frequentes aproximações de navios chineses a águas japonesas em torno das Ilhas Senkaku.

Kishida pretende abordar este assunto em reunião bilateral com seu colega chinês, segundo informaram hoje fontes governamentais à emissora estatal "NHK", embora na véspera um porta-voz da China descartou que Wang tivesse previsto o encontro com o ministro japonês.

Fumio Kishida pretende mover seus protestos para a China por conta dos incidentes nas Ilhas Senkaku e pedir para que seja respeitada a legislação internacional nas distintas disputas marítimas que o gigante asiático mantém com outros países vizinhos, acrescentou a "NHK".

O conflito diplomático que Tóquio e Pequim mantêm em torno da soberania das Ilhas Senkaku aumentou nos últimos meses, por causa das frequentes aproximações de navios chineses a águas próximas dessas pequenas ilhas desabitadas situadas no Mar da China Oriental.

O Japão também mantém uma disputa com Coreia do Sul pela soberania das Ilhas Dokdo, controladas administrativamente por Seul, mas consideradas por Tóquio como um território "historicamente" japonês.

Além disso, a reunião em Tóquio pode servir para preparar um novo encontro bilateral entre o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, e o presidente da China, que aconteceria durante a cúpula do G20, que será realizada em Hangzhou, na China, entre os dias 4 e 5 de setembro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos