Rússia e EUA se reúnem para coordenar ações militares contra EI na Síria

Genebra, 26 ago (EFE).- Os secretários de Estado dos Estados Unidos e da Rússia, John Kerry e Sergey Lavrov, respectivamente, estão reunidos nesta sexta-feira em Genebra, na Suíça, para tratar de um acordo que permita coordenar as ações militares de ambos os países na luta contra o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) na Síria.

O enviado especial da Organização das Nações Unidas (ONU) à Síria, Staffan de Mistura, deve se juntar até no máximo amanhã aos dois líderes no hotel onde acontece o encontro, informou a porta-voz do diplomata, Jessy Chahine, em entrevista coletiva. A reunião dos dois ministros ocorre após semanas de encontros em Genebra entre militares dos dois países em uma tentativa de conseguir o dito acordo de coordenação bélica.

A ideia é compartilhar inteligência militar e coordenar os bombardeios contra o EI, assim como conseguir com que a Força Aérea síria deixe de bombardear grupos armados moderados. Outro dos objetivos é conseguir uma trégua duradoura - na qual não se incluiria o EI- para permitir a distribuição de ajuda humanitária a milhares de pessoas que vivem em zonas de conflito ou de muito difícil acesso.

Ontem, foi anunciado que a Rússia aceitou finalmente estabelecer um cessar-fogo de 48 horas em Aleppo - a segunda maior cidade síria e reduto dos jihadistas - para que possa ser prestada ajuda humanitária às milhares de pessoas na cidade. Por enquanto, a ONU aguarda o acordo entre todas as partes em guerra para poder iniciar a distribuição da ajuda.

Por sua vez, rebeldes sírios e o exército do regime do presidente sírio Bashar al Assad acertaram ontem retirar todos os moradores e insurgentes da cidade de Daraya, próxima a capital Damasco. Sobre este acordo, Chahine disse que a ONU, embora não esteja envolvida, está disposta a ajudar caso seja solicitada. No entanto, a porta-voz advertiu que ninguém deve ser obrigado a se retirar se este não for o seu desejo.

Posteriormente, a ideia da reunião entre Kerry e Lavrov seria também estabelecer os fundamentos para que sejam retomadas as negociações de paz, que foram suspensas em abril deste ano. Em novembro de 2015, as grandes potências estabeleceram que em agosto deste ano deveria ter sido alcançado um acordo de transição política no país.

No anúncio do encontro entre os chanceleres de Estados Unidos e Rússia, também foi especificado que serão tratadas questões relacionadas à Líbia e à Ucrânia. Amanhã, ainda está previsto um encontro entre Kerry e o assessor de segurança dos Emirados Árabes Unidos, Sheikh Saeed bin Tahnoun Al Nahayan.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos