ONU condena assassinato de vice-ministro da Bolívia

Genebra, 30 ago (EFE).- O Escritório da Organização das Nações Unidas (ONU) para os Direitos Humanos condenou nesta terça-feira o recente assassinato do vice-ministro de Regime Interior boliviano, Rodolfo Illanes, cometido por um grupo de mineiros, assim como os violentos enfrentamentos entre manifestantes que se opõem a uma nova lei de mineração e a Polícia.

"Temos conhecimento de que seis pessoas foram detidas envolvidas com este assassinato e pedimos às autoridades que garantam uma investigação total e objetiva da morte do vice-ministro Illanes", disse, em Genebra, o porta-voz do Escritório da ONU para os Direitos Humanos, Rupert Colville.

Ele também pediu para que sejam investigadas as mortes de quatro mineradores em confrontos entre este grupo e as forças de segurança pela oposição do primeiro a uma norma que permite a formação de sindicatos. Os mineiros, que participam de uma série de protestos, se opõem à formação de sindicatos em suas cooperativas por considerá-lo prejudicial para seus interesses.

Segundo a Promotoria da Paz, nove mineiros estão presos por suposta responsabilidade na morte de Illanes, que foi espancado até a morte na quinta-feira passada após ser sequestrado quando ia negociar com os líderes mineiros para que retirassem o bloqueio das estradas.

"Pedimos a todas as partes envolvidas que se comprometam com um diálogo imediato, genuíno e construtivo, e que não utilizem métodos violentos", afirmou o porta-voz da ONU.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos