PUBLICIDADE
Topo

Turquia mantém presos 32 mil acusados de participação no fracassado golpe

Em Istambul

28/09/2016 06h36

As autoridades judiciais da Turquia mantêm em prisão preventiva 32 mil acusados pelo suposto envolvimento no fracassado golpe militar do mês de julho, disse nesta quarta-feira o ministro da Justiça, Bekir Bozdag.

"Foram tomadas medidas contra cerca de 70 mil pessoas. Destas, aproximadamente 32 mil estão em prisão preventiva, com o processo em andamento", disse Bozdag, em entrevista para a emissora "NTV".

O ministro lembrou que este número pode variar, pois, por um lado, pode ter novos detidos que passem para prisão preventiva, e por outro, os já detidos se submetem a periódicos controles judiciais durante as quais o tribunal pode ordenar a sua libertação provisória.

O ministro turco ressaltou que não se sabe ainda quantos destes acusados serão considerados culpados e sentenciados.

Bekir Bozdag afirmou que desde o primeiro dia estão tomando "medidas cautelares" para evitar fugas dos detidos, como a suspensão do serviço de 1,5 mil guardas prisionais por suspeita de vínculos com a confraria do predicador exilado Fethullah Gulen, acusado pelo governo turco de planejar a tentativa de golpe.

"Inclusive tomamos medidas contra eventuais ataques de aviões e helicópteros. Por enquanto não é dada a permissão de sobrevoar Sincan e Silivri", disse Bozdag, se referindo aos municípios localizados em Ancara e Istambul, respectivamente, onde ficam as prisões mais importantes do país.