Turquia mantém presos 32 mil acusados de participação no fracassado golpe

Em Istambul

As autoridades judiciais da Turquia mantêm em prisão preventiva 32 mil acusados pelo suposto envolvimento no fracassado golpe militar do mês de julho, disse nesta quarta-feira o ministro da Justiça, Bekir Bozdag.

"Foram tomadas medidas contra cerca de 70 mil pessoas. Destas, aproximadamente 32 mil estão em prisão preventiva, com o processo em andamento", disse Bozdag, em entrevista para a emissora "NTV".

O ministro lembrou que este número pode variar, pois, por um lado, pode ter novos detidos que passem para prisão preventiva, e por outro, os já detidos se submetem a periódicos controles judiciais durante as quais o tribunal pode ordenar a sua libertação provisória.

O ministro turco ressaltou que não se sabe ainda quantos destes acusados serão considerados culpados e sentenciados.

Bekir Bozdag afirmou que desde o primeiro dia estão tomando "medidas cautelares" para evitar fugas dos detidos, como a suspensão do serviço de 1,5 mil guardas prisionais por suspeita de vínculos com a confraria do predicador exilado Fethullah Gulen, acusado pelo governo turco de planejar a tentativa de golpe.

"Inclusive tomamos medidas contra eventuais ataques de aviões e helicópteros. Por enquanto não é dada a permissão de sobrevoar Sincan e Silivri", disse Bozdag, se referindo aos municípios localizados em Ancara e Istambul, respectivamente, onde ficam as prisões mais importantes do país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos