Amri jurou lealdade ao EI, mostra vídeo divulgado por agência jihadista

Cairo, 23 dez (EFE).- O tunisiano Anis Amri, morto nesta sexta-feira em um tiroteio com a Polícia em Milão, jurou lealdade à organização terrorista Estado Islâmico (EI) em um vídeo divulgado pela agência "Amaq", vinculada ao grupo jihadista.

No vídeo, Amri filma a si mesmo em uma ponte sobre um rio e encoraja seus "irmãos" a fazer a jihad (guerra santa) contra os "inimigos de Alá" e contra os "que bombardeiam muçulmanos".

Antes de publicar o vídeo, a "Amaq" tinha confirmado em comunicado que o autor do atentado de Berlim "realizou um novo ataque contra uma patrulha da Polícia italiana em Milão e morreu durante o tiroteio".

Na terça-feira, a agência vinculada aos jihadistas afirmou que o autor do ataque de Berlim era um "soldado" do EI e agora confirmou que tratava-se do suspeito que tinha sido identificado pelas forças de segurança alemãs.

A "Amaq" costuma informar sobre a autoria dos atentados perpetrados pelo grupo jihadista ou pelos denominados "lobos solitários" que realizam ataques inspirados pela ideologia da organização radical.

Amri morreu em um tiroteio com policiais italianos em um controle rotineiro que aconteceu de madrugada no bairro milanês de Sesto San Giovanni, segundo informou a Polícia desse país.

A Procuradoria alemã confirmou a morte de Amri, considerado suposto autor do atentado cometido na segunda-feira em Berlim, mas alertou que a investigação do atentado, no qual morreram 12 pessoas e 50 ficaram feridas, continua aberta.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos