Tribunais militares chegam ao fim no Paquistão após 161 sentenças de morte

  • Akhtar Soomro/Reuters

    12.mar.2015 - Soldado guia homens vendados até um tribunal antiterrorismo em Karachi

    12.mar.2015 - Soldado guia homens vendados até um tribunal antiterrorismo em Karachi

Os tribunais militares do Paquistão para casos de terrorismo chegaram neste sábado (7) a seu fim ao expirar a emenda constitucional que estabeleceu sua criação há dois anos, após emitir 274 sentenças, 161 delas de morte, e a execução de 12 condenados.

"Os tribunais militares chegam a seu fim hoje e os casos que processavam serão levados a tribunais antiterroristas", disse à Agência Efe o procurador-geral do Estado, Ashtar Ausaf Ali.

Uma fonte militar que preferiu manter o anonimato informou que "os tribunais seguirão a direção constitucional".

Em 6 de janeiro de 2015, o parlamento paquistanês aprovou por maioria a Vigésimo primeira Emenda Constitucional e a Lei do Exército do Paquistão 2015 que estabelecia a criação por dois anos de tribunais militares especiais para casos de terrorismo.

A criação destas cortes foi uma das medidas ditadas pelo Executivo depois do ataque talibã contra uma escola que em dezembro de 2015 matou 125 estudantes na cidade de Peshawar, nas áreas tribais do noroeste do país.
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos