PUBLICIDADE
Topo

Bélgica homenageia vítimas no dia que completa 1 ano do atentado em Bruxelas

Primeiro-ministro belga, Charles Michel, durante a cerimônia em aeroporto - Yves Herman/Reuters
Primeiro-ministro belga, Charles Michel, durante a cerimônia em aeroporto Imagem: Yves Herman/Reuters

Em Bruxelas

22/03/2017 04h43

Os reis da Bélgica, Felipe e Matilde, além do primeiro-ministro do país, Charles Michel, fizeram nesta quarta-feira (22) um minuto de silêncio no Aeroporto de Bruxelas, um ano depois do atentado jihadista que ocorreu no local e ao lado da estação de metrô de Maelbeek, deixando 32 mortos.

O ato deu início a um dia de lembrança das vítimas de um dos piores ataques terroristas da história da Bélgica.

Em companhia de vítimas e familiares, assim como integrantes das equipes de socorro que trabalharam no dia, os monarcas e o chefe do Executivo fizeram um minuto de silêncio às 7h58 (horário local, 3h58 de Brasília), hora precisa da explosão das duas primeiras bombas ativadas por Ibrahim El Bakraoui e Najim Laachraoui, no aeroporto, onde morreram 16 pessoas.

Minutos antes, o rei tinha depositado flores após a leitura dos nomes das vítimas.

O tráfego aéreo ficou interrompido no aeroporto ao longo da cerimônia, que durou 26 minutos.

Em seguida, os reis seguirão para a estação de metrô, onde ocorreram mais 16 mortes explosão às 9h11 (hora local) de outra bomba ativada por Khalid El Bakraoui, que viajava em um comboio.
 

Veja os locais onde ocorreram ataques em Bruxelas

AFP