Polícia sueca detém uma pessoa em investigação de atentado em Estocolmo

Copenhague, 24 abr (EFE).- Uma pessoa foi detida dentro das investigações sobre o atentado de 7 de abril no centro de Estocolmo, a capital da Suécia, quando o autor confesso do ataque, que está preso, atropelou uma multidão com um caminhão, matando quatro pessoas, informou nesta segunda-feira a polícia sueca.

A detenção ocorreu ontem e a promotoria terá até o meio-dia desta quarta-feira para decidir se apresenta uma acusação e se solicita sua prisão preventiva, de acordo com um breve comunicado no qual as autoridades suecas advertiram que, por enquanto, não divulgarão informações sobre o detido, nem o grau de suspeita.

Rakhmat Akilov, um uzbeque de 39 anos que deveria ter sido expulso da Suécia depois que sua solicitação de asilo foi rejeitada, acabou detido horas depois do atentado em um subúrbio da capital após a divulgação de várias imagens captadas pelas câmeras de segurança.

Em uma audiência ocorrida quatro dias mais tarde, Akilov aceitou a acusação de assassinato com motivação terrorista, pela qual o juiz decretou sua prisão preventiva por um mês.

Dois dias depois do ataque, a polícia prendeu outra pessoa contra a qual foram apresentadas as mesmas acusações, com mínimo grau de suspeita, mas a acusação formal acabou não se concretizando.

Contudo, o serviço de inteligência da Suécia ordenou que este último suspeito permanecesse sob custódia, já que ele tem uma ordem de expulsão pendente.

As autoridades migratórias suecas rejeitaram em junho a solicitação de asilo de Akilov, que supostamente tinha chegado à Suécia em 2014. Após não responder a um requerimento para se entregar de forma voluntária, a polícia emitiu em fevereiro uma ordem de busca.

A investigação policial confirmou que o suspeito era simpatizante do grupo terrorista Estado Islâmico (EI), mas não foram oferecidos detalhes sobre seus motivos e sobre se o objeto encontrado no caminhão utilizado durante o atentado era um explosivo.

De acordo com a imprensa sueca, Akilov afirmou durante o interrogatório que agiu por ordem direta do EI na Síria.

O uzbeque é suspeito de ter conduzido o caminhão que em 7 de abril percorreu quase 600 metros da principal rua de pedestres de Estocolmo, atropelando as pessoas até se chocar contra a fachada de uma loja de departamentos.

No ataque morreram quatro pessoas - dois suecos, uma belga e um britânico - e outras 15 ficaram feridas, entre as quais uma permanece hospitalizada.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos