Saques no estado natal de Hugo Chávez deixam 7 mortos e 107 detidos

Caracas, 24 mai (EFE).- O comandante geral da Guarda Nacional Bolivariana, Antonio Benavides, informou nesta quarta-feira que sete pessoas morreram nos últimos dias e 107 foram detidas como resultado dos saques no estado venezuelano de Barinas, onde nasceu o ex-presidente Hugo Chávez.

"Temos uma grande quantidade de feridos por arma de fogo e por outros objetos", analisou o general da polícia à emissora estatal "VTV" desse estado.

Benavides comentou que sete pessoas morreram por incidentes de violência ocorridos em locais de protesto e afirmou que as mortes foram "consequência do uso de arma de fogo".

"Temos, pela Guarda Nacional Bolivariana, 107 detidos por incidentes contra a propriedade pública e a propriedade privada", acrescentou o oficial, que informou que os apreendidos serão levados a tribunais e à promotoria militar.

De acordo com o general, a polícia mobilizou patrulhas na região para manter a vigilância terrestre e aérea, de modo que as pessoas "possam ter a sensação de segurança e confiança".

Além disso, denunciou que vários "delinquentes se aproveitaram da situação para alterar a ordem pública" e classificou os saques como "assaltos".

Segundo relatos de vários dirigentes da oposição venezuelana e da imprensa local, mais de cem estabelecimentos comerciais foram afetados pelos distúrbios desta semana em Barinas, apesar das autoridades não terem divulgado números.

A procuradora-geral, Luisa Ortega, disse nesta quarta-feira que 346 propriedades públicas e privadas foram "queimadas ou saqueadas" em vários estados do país durante a atual onda de protestos iniciados no dia 1º de abril e que deixou 55 mortos e mil feridos. EFE

hp/vnm

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos