"EUA usam Coreia do Norte como desculpa para escudo antimísseis", diz Putin

Em São Petersburgo

  • Dmitri Lovetsky/ AP

    O presidente russo Vladimir Putin participa de encontro com presidentes de agências de imprensa, em São Petersburgo, Rússia

    O presidente russo Vladimir Putin participa de encontro com presidentes de agências de imprensa, em São Petersburgo, Rússia

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta quinta-feira (1º) que os Estados Unidos utilizam a ameaça do programa nuclear da Coreia do Norte para o posicionamento do seu escudo antimísseis na região do Pacífico.

"Inclusive se a Coreia do Norte declarar amanhã que cancela todos os seus testes nucleares, o posicionamento do sistema de defesa antimísseis dos EUA continuará. Será com outro pretexto ou sem pretexto, como fazem na Europa", disse Putin em entrevista a presidentes de dez grandes agências de imprensa.

"O ambicioso programa americano, que pretende proteger o Ocidente de qualquer ataque em massa com mísseis nucleares, destrói o equilíbro estratégico no mundo todo", afirmou o presidente russo, acusando seus interlocutores de silenciar "o perigo" que isto representa para a paz mundial.

"Todos vocês são pessoas adultas e com décadas de experiência no mundo da informação, mas se calam sobre isto. O mundo está em silêncio como se nada acontecesse. É óbvio que tudo isto leva a uma nova corrida armamentista. E nós devemos pensar em como neutralizar a ameaça", afirmou.

Putin lembrou que quando EUA e Otan planejaram posicionar na Europa o escudo antimísseis, fizeram com o argumento da ameaça nuclear representada pelo Irã.

"Agora foi assinado um acordo com o Irã e já não há nenhuma ameaça, assim confirma o Organismo Internacional de Energia Atômica (OIEA). Apesar disso, o posicionamento do sistema de defesa antimísseis continua a um ritmo rápido. E vocês continuam todos calados", acrescentou Putin a sua crítica aos meios ocidentais.

Ao responder a uma pergunta da agência japonesa Kyodo sobre as ilhas Curilas, cuja soberania é reclamada pelo Japão, Putin destacou que o arquipélago "é um bom lugar para neutralizar a ameaça" do escudo antimísseis americano.

"Agora estão sendo instalados elementos do escudo antimísseis na Coreia do Sul. Devemos apenas observar? Não, estamos pensando em como responder a esse desafio", disse o presidente russo, justificando assim o aumento do potencial militar russo no extremo oriente do país e nas próprias Curilas.

"A Rússia está consciente de que os EUA poderiam colocar elementos dos seus sistemas de mísseis nessas ilhas se passarem para a soberania de Tóquio", acrescentou Putin.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos