Chefe do Pentágono não acredita que teste norte-coreano os aproxime da guerra

Washington, 6 jul (EFE).- O secretário de Defesa dos Estados Unidos, James Mattis, considerou nesta quinta-feira que o teste bem-sucedido de um míssil balístico intercontinental da Coreia do Norte não deixa os EUA mais próximos de um conflito armado com o regime comunista.

"Não acredito que esta capacidade (de mísseis) nos deixe mais próximos de uma guerra", garantiu Mattis, que foi muito cauteloso na hora de fazer ameaças ao regime norte-coreano com uma ação armada, devido ao perigo de uma escalada que afetaria, em primeiro lugar, milhões de sul-coreanos e milhares de tropas americanas na região da Ásia-Pacífico.

Em declarações à imprensa no Pentágono, Mattis afirmou que a "contenção" dos EUA foi uma das razões pelas quais a Península da Coreia não entrou em guerra novamente após 1953, ano em que a Guerra da Coreia foi resolvida com um armistício, e não um tratado de paz, além da divisão em dois Estados, Norte e Sul.

"A nossa autocontenção e os esforços diplomáticos continuam em andamento. Trabalhamos com os nossos aliados, inclusive os chineses", indicou o secretário de Defesa.

Mattis mostrou "grande preocupação" pelo fato de a Coreia do Norte ter conseguido testar com sucesso na última terça-feira um míssil com uma fase adicional de propulsão, que pode sair da atmosfera terrestre e alcançar o Alasca e o Canadá em sua reentrada.

Contudo, Mattis assegurou que a defesa antimísseis dos EUA pode responder a um míssil intercontinental norte-coreano e que as autoridades americanas estão alertas caso isto ocorra.

O chefe do Pentágono também lembrou ao regime de Kim Jong-un sobre as graves consequências que este enfrentaria se decidisse provocar uma guerra na Península da Coreia, algo que, apesar das tensões, sempre foi evitado.

A Coreia do Norte conta com o apoio do seu aliado chinês, que sente receio da presença de forças americanas perto de suas fronteiras, enquanto os Estados Unidos mantêm forte presença militar na Coreia do Sul e no Japão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos