Assessor de Macri gera polêmica com declaração sobre eleitores de Cristina

Buenos Aires, 24 jul (EFE). - Jorge Taiana, pré-candidato a senador e companheiro de chapa eleitoral de Cristina Fernández, exigiu nesta segunda-feira que o atual governante, Mauricio Macri, "peça perdão ao povo argentino" depois que um assessor seu vinculou eleitores da ex-presidente ao tráfico de drogas e a "economia informal".

Em tempos em que as pesquisas apontam empate entre a chapa governista e a de Cristina-Taiana, ele criticou, em declarações à "Radio 10", os que pensam que seus eleitores são "sub-humanos" e disse que a equipe de Macri "está assustada pelo poder transformador do voto e por isso tenta desqualificá-lo".

O equatoriano Jaime Durán Barba, assessor de Macri, declarou no último fim de semana que os eleitores da ex-presidente Cristina Kirchiner, que governou de 2007 a 2015 "estão envolvidos com a economia informal, mercadorias falsificadas, que vivem de subsídios ou fazem parte das pessoas do narcotráfico na cidade e na Província".

Taiana equiparou o assessor ao presidente já que, segundo ele, as falas de Durán não representam apenas o seu pensamento, mas "o de Macri e de todo o seu governo".

O companheiro de chapa de Cristina exigiu ao chefe de Estado que retire a autoridade de Durán e "peça perdão ao povo argentino".

Na última sexta-feira, começou a campanha para as Primárias Abertas Simultâneas e Obrigatórias (PASO), que acontecem em 13 de agosto para escolher os candidatos de cada força para as eleições legislativas de 22 de outubro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos