Maduro ameaça com prisão quem aumentar preços com base em "dólar criminoso"

Caracas, 3 ago (EFE).- O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, garantiu nesta quinta-feira ter ordenado ao ministro do Interior e Justiça, Néstor Reverol, a prender "todos que pretendam especular" e aumentar os preços dos produtos no país, se baseando no dólar não-oficial, que subiu de maneira exponencial nos últimos dias.

"Vamos iniciar essa etapa da Constituinte, e é preciso manter uma batalha dura contra os especuladores, que fixam preços através do Dolar Today'. Comprando produtos na Venezuela, produzindo na Venezuela, querem vencer no preço do dólar criminoso", disse o mandatário, em pronunciamento na televisão.

Maduro garantiu que não permitirá a comercialização de itens pelo câmbio não-oficial, classificando de "terroristas" os que apelam para este artifício.

"Mão pesada, mão de ferro", ameaçou o presidente.

No pronunciamento, Maduro revelou que uma rede de supermercados já está sendo investigada, depois de ele ter recebido a informação de aumento abusivo nos preços.

O governo venezuelano monopoliza o fluxo de moedas, com controle de câmbio, desde 2003. Hoje, o dólar seguiu batendo recorde, com relação ao bolívar, quatro dias depois da eleição de uma Assembleia Constituinte, rejeitada pela oposição e vraios países.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos