PUBLICIDADE
Topo

Atentado suicida causa morte de 3 pessoas no norte de Camarões

24/08/2017 06h40

Yaundé, 24 ago (EFE).- Pelo menos três pessoas morreram e outras cinco ficaram feridas em um atentado suicida cometido na localidade de Kordo, na região do extremo norte de Camarões e muito perto da fronteira com a Nigéria.

O ataque aconteceu às 21h locais (17h de Brasília) de quarta-feira quando um terrorista, que também morreu, detonou a carga explosiva que levava junto ao corpo.

As autoridades camaronesas bloquearam provisoriamente o acesso a Kordo, indicaram fontes de segurança à Agência Efe, que confirmaram que as três vítimas no ataque são civis.

O atentado aconteceu no mesmo dia de outro ataque, na localidade de Mozogo, também no nordeste de Camarões, contra patrulhas de vigilantes civis, no qual pelos menos quatro pessoas morreram, além dos dois agressores, e outras seis ficaram feridas.

As patrulhas de vigilantes civis foram criadas pelas autoridades camaronesas para lutar contra o terrorismo jihadista que castiga o país, um trabalho que é recompensado com comida e premiações, mas não economicamente.

Os vigilantes patrulham as localidades em busca de elementos suspeitos e acionam as forças de segurança em caso de alerta, além de recolherem informação para o Batalhão de Reação Rápida (BIR, sigla em francês), uma unidade de elite do exército camaronês.

A região do extremo norte de Camarões foi alvo em várias ocasiões de ações do grupo terrorista nigeriano Boko Haram, que comete atentados em vários países da região, depois que Chade, Níger, Camarões, Nigéria e Benim criaram uma força multinacional em 2015 para combater os jihadistas.

Nas últimas semanas, outros dois atentados suicidas ocorreram na região: em 6 de agosto morreram pelo menos sete pessoas e outras quatro ficaram feridas na localidade de Ouro-Kessoum, e em 12 de julho, dois terroristas se explodiram em uma área de bares de Waza, matando 14 pessoas.

Segundo especialistas consultados pela Efe, os radicais islâmicos querem converter o lago Chade em seu novo bastião, depois que o exército nigeriano recuperou terreno no norte da Nigéria nos últimos meses.

O Boko Haram luta para impor um Estado islâmico nesta região da Nigéria, onde a maior parte da população é muçulmana.

Segundo números divulgados pela imprensa local de Camarões, desde 2014, a guerra contra o Boko Haram causou a morte de mais de 2 mil pessoas, bem como o deslocamento de pelo menos 160 mil, a maior parte no norte do país.