PUBLICIDADE
Topo

Macron pede a Erdogan "liberdade rápida" para estudante francês detido

27/08/2017 15h23

Paris, 27 ago (EFE).- O presidente da França, Emmanuel Macron, pediu neste domingo a seu homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan, a "rápida liberdade" do estudante francês de jornalismo Loup Bureau, detido no final de julho no sul da Turquia.

Macron conversou por telefone com Erdogan e "pediu, além da melhoria das condições da detenção, a liberdade rápida (de Bureau) e seu retorno à França", informou a Presidência em um comunicado.

"Os dois presidentes concordaram em manter os contatos também no âmbito ministerial para encontrar, o mais rápido possível, uma solução positiva", acrescentou a nota.

Este foi o segundo contato oficial de Macron com Erdogan sobre o estudante, colaborador de canais como "TV5 Limpe" e "Arte". O primeiro foi no último dia 15 de agosto.

Bureau, de 27 anos, foi detido quando preparava um artigo sobre a situação curda e o dia a dia da população local, motivo pelo qual se deslocou em 26 de julho até a Turquia desde a capital da região autônoma do Curdistão iraquiano, Erbil, através da província turca de Sirnak.

Com base no material encontrado com o jornalista - basicamente fotografias de grupos curdos -, as autoridades turcas o encarceraram por suspeitas de ter apoiado uma organização terrorista, acusação esta que ele nega e que pode render uma grave pena de prisão.

No último ano houve outros casos de jornalistas estrangeiros detidos na Turquia, como o do fotógrafo francês Mathias Depardon, libertado em junho após um mês detido e por quem Macron também interveio.

A organização Repórter Sem Fronteiras (RSF), que se mobilizou a favor de Depardon e Bureau, coloca a Turquia no posto 155 de 180 em seu índice mundial sobre a liberdade de imprensa.

Em sua conversa por telefone, Macron também abordou com Erdogan o conflito sírio, a situação do Iraque e do Golfo Pérsico e agradeceu pelo apoio turco à criação de um grupo multilateral destinado a conseguir uma solução para a guerra na Síria.