PUBLICIDADE
Topo

Governo de Vanuatu ordena a evacuação da ilha devido à erupção do "Monaro"

28/09/2017 01h36

Sydney (Austrália), 28 set (EFE).- As autoridades de Vanuatu ordenaram, nesta quinta-feira, saída em massa e obrigatória da ilha de Ambae, declarada em estado de emergência, pela erupção do vulcão Monaro, segundo informações da imprensa local.

"As vidas das pessoas de Ambae é a nossa prioridade", disse o primeiro-ministro do país, Charlot Salwai, ao ordenar a evacuação obrigatória que deverá ser concluída até o dia 6 de outubro, segundo informou o jornal "Vanuatu Daily Post", em sua conta no Twitter.

O vulcão, cujo alerta foi fixado na categoria quatro em uma escala de 5, está jogando rochas, gás vulcânico, chuva ácida e cinzas em Ambae, onde há cerca de 8 mil pessoas, de acordo com o Departamento de Riscos Geológicos de Vanuatu.

Vários barcos estavam aletas para a decisão do Conselho de Ministros de Vanuatu sobre a evacuação de Ambae, para as ilhas vizinhas de Saint, Pentecost e Malakula, de acordo com a rádio "New Zealand".

A ilha de Ambae, em estado de emergência, "não é segura", disse o coordenador da Cruz Vermelha de Vanuatu, Dickenson Tevi, em declarações citadas pela emissora neozelandesa.

Tevi explicou que muitos moradores fugiram das imediações do vulcão, que se eleva no meio da ilha, em consequência das erupções, embora nunca antes tenha sido evacuada toda a população de algum território do arquipélago, acrescentou a fonte.

O legislador de Ambae, Jacob Mata, comentou que cerca de 8 mil pessoas permanecem na região, a maioria deles em abrigos e aguardam serem evacuados.