PUBLICIDADE
Topo

Putin condena atentado no Sinai e oferece cooperação a Sisi

24/11/2017 13h41

Moscou, 24 nov (EFE).- O presidente da Rússia, Vladimir Putin, condenou nesta sexta-feira o atentado terrorista realizado contra uma mesquita na cidade egípcia de Al Arish, no norte da península do Sinai, no qual morreram pelo menos 235 pessoas.

"O assassinato de civis durante um serviço religioso causa estupor pela sua crueldade e cinismo. Convencemo-nos mais uma vez de que os terroristas são absolutamente alheios aos princípios morais do ser humano", afirma um telegrama do presidente russo.

Na sua carta ao presidente egípcio, Abdul Fatah al Sisi, Putin assegurou que "a Rússia está disposta a ampliar a cooperação com o amistoso povo do Egito na luta contra as forças do terrorismo internacional".

No final de 2015 no Sinai os jihadistas também mataram 224 pessoas ao explodir um avião com turistas russos que retornava do Egito.

Hoje os agressores colocaram explosivos de fabricação caseira ao redor da mesquita de Al Rauda, situada perto de Al Arish, e os detonaram na saída dos fiéis da reza de sexta-feira.