PUBLICIDADE
Topo

Dois suspeitos são presos após atropelamento de 15 pessoas na Austrália

21/12/2017 07h32

(Atualiza com declarações policiais)

Sydney (Austrália), 21 dez (EFE).- As autoridades da Austrália prenderam dois suspeitos após o atropelamento, nesta quinta-feira, de pelo menos 15 pessoas, entre eles uma criança, que caminhavam pela calçada na cidade de Melbourne.

Um SUV branco atropelou vários pedestres em uma movimentada rua perto da estação de trem Flinders Street, no centro comercial da cidade, no meio da tarde, em uma das vias comerciais da cidade.

O motorista do veículo e um acompanhante foram detidos no local do incidente e se encontram sob custódia policial, disse a polícia do estado Victoria, cuja capital é Melbourne.

Russell Barrett, comandante da Polícia de Victoria, declarou para a imprensa que as autoridades acreditam que o atropelamento foi ato deliberado, embora "desconheçam as motivações".

A Polícia não informou sobre o estado da gravidade dos feridos, embora várias ambulâncias e serviços de emergência tenham ido para o local do fato.

Porém, o serviço de ambulâncias de Victoria disse através do Twitter que 13 pessoas foram levadas para hospitais da cidade e outros dois foram atendidos no local do incidente.

Segundo testemunhas, citados pela emissora "ABC", um carro viajava em "grande velocidade" e "atropelando as pessoas".

"Em vez de frear no semáforo (vermelho), o veículo continuou, tudo aconteceu em cerca de dez segundos", explicou uma mulher que presenciou o atropelamento.

As autoridades, por enquanto, fecharam a estação de trem e pediram para pessoas que evitem a área, sem especificar se o incidente se trata de um atentado.

As autoridades da Austrália elevaram o alerta terrorista em setembro de 2014 e aprovaram uma série de leis para prevenir atentados.

Porém, o país sofreu quatro atentados desde então, embora tenham sido abortados vários com a prisão de dezenas de pessoas em diversas operações.

No final do mês passado, as autoridades australianas prenderam um homem que presumivelmente iria disparar contra as pessoas que comparecessem na festa de Réveillon na Praça da Federação, em Melbourne.