Papa vincula eutanásia com avaliação da vida apenas pela "produtividade"

Cidade do Vaticano, 26 jan (EFE).- O papa Francisco vinculou nesta sexta-feira o aumento dos pedidos de eutanásia "em muitos países" com um conceito da vida que avalia sua "eficácia" e "produtividade", e não sua "dignidade".

Na opinião do pontífice, a secularização "causou em muitos países um crescimento dos pedidos de eutanásia como afirmação ideológica da vontade de poder do homem sobre a vida".

Francisco se referiu a este assunto em uma audiência no Vaticano com os participantes na sessão plenária da Congregação para a Doutrina da Fé, que abordaram a questão da eutanásia na sua reunião.

O papa considerou que esse processo de secularização em relação com a eutanásia levou "também a considerar a interrupção voluntária da existência humana como uma 'escolha civilizada'".

"Está claro que então a vida não vale pela sua dignidade, senão pela sua eficácia e pela sua produtividade, tudo isso se torna possível. Neste cenário é preciso insistir que a vida humana, desde a concepção até o seu fim natural, possui uma dignidade que a faz intangível", acrescentou o papa.

O pontífice já havia se pronunciado em novembro do ano passado sobre a questão da eutanásia ao afirmar que "é sempre ilícita", ainda que tenha admitido que "é moralmente lícito renunciar à aplicação de meios terapêuticos ou suspendê-los" quando são eticamente desproporcionais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos