Governo envia 600 homens para região de explosão no Equador

Quito, 27 jan (EFE).- O presidente do Equador, Lenín Moreno, ordenou o envio de 600 homens de segurança para a província de Esmeraldas, na fronteira com a Colômbia, onde ocorreu um atentado com um "carro-bomba", que deixou 28 pessoas levemente feridas, informou a Secretaria Nacional de Comunicação (Secom).

O presidente decretou o estado de exceção, por 60 dias, nos cantões de San Lorenzo e Eloy Alfaro para reforçar a segurança de seus habitantes.

Em comunicado, a Secom, que não disse a que instituição pertencem os 600 homens que serão enviados a Esmeraldas, ressalta que o Governo condenou energicamente a explosão do "carro-bomba", registrada na madrugada deste sábado em frente a uma instalação policial, no cantão de San Lorenzo.

Considerou "este ataque terrorista, instrumentado por grupos de narcotraficantes e do crime organizado, não compromete sua política de luta contra este flagelo transnacional" nas suas diferentes facetas, como o narcotráfico e o lavagem de dinheiro.

O órgão lembrou que o estado de exceção nos cantões de San Lorenzo e Eloy Alfaro instaura zonas de segurança e suspende os direitos à inviolabilidade de domicílio, trânsito, associação e reunião.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos