Ataques na região de Guta Oriental, na Síria, deixam 5 mortos e 200 feridos

Beirute, 21 fev (EFE).- Pelo menos cinco pessoas morreram nesta quarta-feira e outras 200 ficaram feridas por conta de novos ataques aéreos - incluindo o lançamento de barris de explosivos - e de artilharia contra diferentes áreas da região de Guta Oriental, o principal feudo opositor dos arredores de Damasco, na Síria, de acordo com o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

As mortes ocorreram após o lançamento de dois barris de explosivos por parte de helicópteros contra a cidade de Kafr Batna, enquanto houve feridos nesta região, além de Arbín, Ain Tarma e Saqba.

A ONG acusou as Forças Aéreas síria e russa, bem como a artilharia da força do governo pelos ataques.

Os aviões de combate efetuaram dois bombardeios em Saqba, enquanto helicópteros jogaram barris contra Hazrama, Al Nashabie e Otaya, onde as tropas governamentais lançaram também 105 foguetes, disse a fonte.

Além disso, aviões que podem ser russos bombardearam Haza e Zamalka.

Ontem à noite, mais de cem foguetes atingiram Otaya, Hazrama e Al Nashabie, revelou a ONG.

Desde o último domingo, pelo menos 251 pessoas morreram, entre elas 58 menores, por ataques aéreos e da artilharia em Guta Oriental.

O coordenador para a Síria do Escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA), Panvos Moumtzis, condenou os ataques contra seis hospitais em Guta Oriental.

Em comunicado divulgado ontem à noite, Moumtzis qualificou de "inaceitáveis" os bombardeios que ocorreram há dois dias contra cinco hospitais, entre eles uma maternidade, e contra um sexto centro médico, ontem, nesta região controlada pelos rebeldes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos