PUBLICIDADE
Topo

Duas pessoas, supostamente envenenadas, estão em estado grave na Inglaterra

04/07/2018 09h17

(Atualiza com participação da Polícia antiterrorista na investigação do caso)

Londres, 4 jul (EFE).- Duas pessoas estão internadas em estado grave em Wiltshire, no sul da Inglaterra, após serem encontradas inconscientes pela exposição a uma substância desconhecida, segundo informações divulgadas nesta quarta-feira pela polícia local, que classificou o caso como um "grave incidente".

O caso lembra o do ex-espião russo Sergei Skripal, de 67 anos, e sua filha Yulia, de 33, envenenados em março com um agente nervoso na cidade de Salisbury, também no sul do país.

De acordo com informações da polícia, um homem e uma mulher, de aproximadamente 40 anos e cujas identidades não foram reveladas, permanecem internados em estado grave no hospital Salisbury District, em Wiltshire, após serem encontrados inconscientes em uma residência em Muggleton Road, na cidade de Amesbury, na noite do último sábado.

A Polícia Metropolitana de Londres (Met, por sua sigla em inglês) indicou hoje que a unidade antiterrorista trabalha com agentes das forças da ordem de Wiltshire para esclarecer o caso.

"Como é de esperar, dados os recentes fatos em Salisbury, agentes da unidade antiterrorista trabalham com os colegas da polícia de Wiltshire por conta do incidente de Amesbury", indicou um comunicado da Scotland Yard.

"Como disse a Polícia de Wiltshire, estão sendo analisadas todas as circunstâncias do incidente e a população será informada da maneira mais regular e rápida possível", acrescentou.

Vários lugares de Amesbury e da cidade de Salisbury foram isolados como medida de precaução.

Os veículos de imprensa britânicos apontaram que o laboratório de investigação de armas químicas do Governo em Porton Down, em Wiltshire, está fazendo testes sobre a substância encontrada.

As forças da ordem indicaram hoje que não está claro que as duas pessoas hospitalizadas tenham sido vítimas de algum tipo de crime, mas agregaram que mantêm a "mente aberta" sobre o caso.

A Saúde Pública da Inglaterra (PHE, por sua sigla em inglês) indicou que não acredita que haja "um grande risco sanitário" para a população, mas admitiu que isto pode ser revisado.

Os agentes e os serviços de emergência tinham suspeitado a princípio que estas duas pessoas tinham ingerido drogas ilegais.

Finalmente, a Polícia de Wiltshire declarou "um incidente grave depois de suspeitar que duas pessoas puderam ter sido expostas a uma substância desconhecida em Amesbury".

Estes dois indivíduos são atendidos no mesmo hospital no qual os Skripal foram tratados durante várias semanas, achados inconscientes em 4 de março em Salisbury.

Os exames aos quais Sergei Skripal (que tem nacionalidade britânica) e sua filha foram submetidos indicaram que tinham sido envenenados com o agente nervoso Novichok, de fabricação russa.

O Governo britânico decidiu expulsar vários diplomatas russos em represália pelo envenenamento de ambos.