PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Ministra da Justiça do Equador renuncia para facilitar extinção da pasta

23/08/2018 19h34

Quito, 23 ago (EFE).- A ministra da Justiça do Equador, Rosana Alvarado, renunciou nesta quinta-feira ao cargo para facilitar a eliminação da pasta, uma medida que faz parte de uma política de austeridade proposta pelo presidente do país, Lenín Moreno.

"Apresentei a renúncia porque acredito que tenho que facilitar essa transição", disse Alvarado em nota divulgada pelo governo.

Moreno publicará em breve decretos explicando o futuro das atribuições do ministério, que era responsável pelo sistema carcerário e por promover políticas de direitos humanos.

Alvarado agradeceu ao presidente pela oportunidade de comandar o Ministério da Justiça nos últimos 15 meses, período no qual disse ter enfrentado momentos difíceis, mas desafiantes.

A renúncia de Alvarado ocorreu pouco depois de o ministro do Ambiente, Tarsicio Granizo, ter entregado o cargo devido às reformas que serão realizadas na pasta dentro do projeto de Moreno.

Em discurso em rede nacional de televisão na última terça-feira, Moreno anunciou uma série de medidas econômicas, como o reajuste do preço da gasolina e uma reestruturação do governo para diminuir o tamanho do Estado e aplicar medidas de austeridade.

"Eliminaremos o Ministério de Justiça e a Secom (Secretaria Nacional de Comunicação). Fundiremos o Ministério de Comércio Exterior com o de Indústrias, o SRI (agência de arrecadação) com o Serviço de Alfândegas, a Secretaria de Riscos com o Ministério de Defesa e o Ministério do Ambiente com a Secretaria da Água", afirmou o presidente do Equador no discurso.

Internacional