PUBLICIDADE
Topo

Protesto de familiares de desaparecidos termina com 20 detidos em Istambul

25/08/2018 09h32

Istambul, 25 ago (EFE).- A polícia da Turquia deteve neste sábado em Istambul 20 manifestantes do grupo civil "Mães de Sábado", que se reúne todos os sábados para exigir justiça por seus familiares desaparecidos nas décadas de 1980 e 1990.

"As forças de segurança nos informaram que o governador do distrito (de Beyoglu, em Istambul) proibiu nosso encontro da semana 700. Sentamos nesta praça durante 699 semanas e continuaremos esta semana", afirmou hoje a organização responsável pelo protesto em comunicado.

Após o anúncio da proibição do encontro, 12 veículos da polícia compareceram à praça do protesto semanal, que fica no centro de Istambul.

Lá, os agentes dispersaram os manifestantes com gás lacrimogêneo e canhões com jatos d'água, segundo informou o jornal "Cumhuriyet".

No total, 20 pessoas foram detidas, entre elas, Maside Ocak e Besna Tosun, duas das mães que começaram os protestos.

Vários deputados opositores do partido social-democrata CHP e do grupo do esquerdista pró-curdo HDP compareceram ao protesto de hoje e criticaram o ministro de Interior, Süleyman Soylu, por proibir o ato.

"As Mães de Sábado", inspiradas nas Mães da Praça de Maio na Argentina, se reúnem todas as semanas na praça Galatasaray de Istambul para exigir justiça pelas centenas de desaparições forçadas.

As vítimas são em sua maioria curdos, que desapareceram depois do golpe militar de 1980 e durante a denominada "guerra suja" entre as forças do Estado e os separatistas curdos nos anos 1990.