PUBLICIDADE
Topo

Rússia alerta para "encenação" de suposto ataque químico perto de Idlib

26/08/2018 13h09

Moscou, 26 ago (EFE).- O Ministério da Defesa da Rússia anunciou neste domingo que, "durante os próximos dois dias" na cidade síria de Kafr Zita, na fronteira com a província de Idlib, está sendo planejada a "encenação" de um ataque com agentes tóxicos para acusar o regime de Bashar al Assad.

Segundo o porta-voz do ministério russo, Igor Konashenkov, na cidade da Al Habit, a seis quilômetros do lugar escolhido para a "provocação", já se encontram "especialistas estrangeiros", encarregados da simulação do ataque químico "com gás de cloro".

Além disso, em Kafr Zita estão sendo realizados "preparativos" com um grupo de pessoas para sua participação na "encenação", denunciou o responsável militar russo em comunicado.

Toda a operação será difundida posteriormente em veículos de imprensa estrangeiros pela ONG "Capacetes Brancos", acrescentou Konashenkov.

Anteriormente, os militares russos afirmaram que o suposto ataque químico seria usado de pretexto por países ocidentais para a realização de novos ataques contra a infraestrutura da Síria.

A Rússia defendeu o governo sírio em abril das acusações de uso de armas químicas em Douma, um subúrbio de Damasco, ao insistir que estas tinham como objetivo justificar uma intervenção militar no país árabe.

Moscou garante que os "Capacetes Brancos" - que afirmam ser um grupo de resgate de civis nas áreas do país árabe controladas pela oposição - encenou vários dos supostos ataques químicos do regime de Bashar al Assad contra áreas rebeldes.

Precisamente essa ONG foi a encarregada de denunciar o ataque com o suposto uso de armas químicas em Douma, no qual teriam morrido pelo menos 42 civis como consequência do envenenamento com substâncias tóxicas.