PUBLICIDADE
Topo

Trump diz que CIA não tem conclusão definitiva sobre assassinato de Khashoggi

20/11/2018 20h42

Washington, 20 nov (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta terça-feira que a Agência Central de Inteligência (CIA) não tem uma conclusão definitiva sobre quem ordenou o assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi.

As afirmações de Trump contradizem notícias veiculadas pela imprensa americana na última semana, que afirmam que a CIA acusa o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, de ter ordenado a morte do jornalista na embaixada do país na Turquia.

"Não tem nada de definitivo. E o fato é que talvez ele (Bin Salman) tenha feito, talvez não", disse Trump a jornalistas na Casa Branca após receber um relatório da CIA sobre o caso.

Trump explicou que não está claro se o príncipe herdeiro ordenou a morte do jornalista, crítico do governo local, e afirmou que não planeja tomar mais medidas punitivas contra a Arábia Saudita.

"É uma situação muito complexa, mas, para mim, trata de colocar os EUA em primeiro lugar", disse Trump, citando o slogan utilizado por ele desde a campanha eleitoral de 2016.

O presidente americano ainda alegou que os preços do petróleo disparariam se os EUA decidissem romper com a Arábia Saudita.

"Seria um erro terrível. Não vou destruir a economia mundial e a economia do nosso país por isso", ressaltou o presidente.

Khashoggi foi morto por um grupo de agentes que saíram da Arábia Saudita e foram até o consulado do país em Istambul, na Turquia, onde o jornalista pegaria documentos necessários para se casar com sua noiva turca. Alguns dos homens responsáveis pelo assassinato eram próximos do príncipe herdeiro saudita.

Trump também disse que planeja se reunir com Bin Salman durante a cúpula do G20 em Buenos Aires, na Argentina, entre os dias 30 de novembro e 1º de dezembro.