PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Turquia pretende comprar sistemas de defesa americanos e russos

25/12/2018 12h47

Istambul, 25 dez (EFE).- O ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlüt Çavusoglu, declarou nesta terça-feira que a Turquia pretende adquirir tanto o sistema de mísseis Patriot, dos Estados Unidos, uma venda que foi aprovada na semana passada por Washington, como o S-400 da Rússia.

"Compraremos os Patriot, mas não cancelaremos a compra dos S-400. É um acordo concluído do qual não podemos voltar atrás", disse o ministro em um encontro com a imprensa turca.

O Departamento de Estado dos EUA notificou na terça-feira passada ao Congresso americano que tinha aprovado a venda de um sistema de mísseis Patriot à Turquia, uma mudança significativa de postura após um ano de relações diplomáticas difíceis entre Ancara e Washington.

Mas essa aquisição, avaliada em US$ 3,5 bilhões, ainda deve ser aprovada pelo Congresso.

"Nós afirmamos ao Congresso: se você nos disser que, em troca, devemos cancelar a compra do sistema S-400, isto é impossível, pois trata-se de um acordo fechado", afirmou o ministro turco.

"O que vamos fazer com eles? Precisaremos deles mais adiante. Precisamos de um sistema de defesa aérea. Faz cerca de um ano e meio que enviamos aos EUA a mensagem de que queríamos comprar os Patriot. A autorização do Departamento de Estado (dos EUA) responde a esse pedido", acrescentou Çavusoglu.

O governo americano considerava preocupante que a Turquia, um país-membro da Otan, adquirisse o sistema de mísseis terra-ar russo S-400 por questões de compatibilidade com o armamento e os sistemas de vigilância da aliança militar.

Alguns especialistas temem inclusive que a instalação do sistema de tecnologia russo poderia abrir para Moscou um caminho de acesso a informações da Otan, algo que a Turquia negou.

O governo turco anunciou em setembro do ano passado que tinha firmado um compromisso com Moscou para a compra dos S-400, um negócio avaliado em US$ 2,5 bilhões por veículos de imprensa da Turquia.

Em outubro, o Ministério da Defesa turco confirmou que já estava selecionando pessoal para operar esse sistema, capaz de derrubar alvos aéreos a uma distância de 250 quilômetros, e que sua instalação está prevista para outubro de 2019.

A Arábia Saudita também confirmou no ano passado a compra do sistema S-400, assim como a Índia o fez em outubro e a China já está instalando suas primeiras unidades.

Três países-membros da Otan utilizam um sistema de mísseis russos S-300, precursor do S-400: Grécia, que os recebeu do Chipre no fim dos anos 1990, Bulgária e Eslováquia. EFE

Internacional