PUBLICIDADE
Topo

Combates no norte do Iêmen deixam pelo menos quatro mortos

13/03/2019 13h53

Sana, 13 mar. (EFE).- Pelo menos quatro pessoas morreram e três ficaram feridas nesta quarta-feira quando a coalizão militar liderada pela Arábia Saudita bombardeou um caminhão no qual viajavam na província de Hayah, no norte do Iêmen, onde se agravou a violência das passadas semanas.

A emissora "Al Masira", porta-voz dos rebeldes houthis do Iêmen, informou que o veículo foi atingido quando transitava por uma estrada que leva ao mercado no distrito de Mastaba, em Hayah.

O canal de televisão acrescentou que "partes dos corpos das quatro vítimas foram recuperados da zona" onde aconteceu o ataque, sem oferecer mais detalhes sobre a identidade dos mortos.

Por sua vez, o Ministério de Saúde controlado pelos houthis confirmou a morte de quatro pessoas, mas não deu mais detalhes.

Hayah é uma das províncias mais afetadas pelo conflito armado no Iêmen entre os rebeldes xiitas e as forças leais ao presidente, Abdo Rabu Mansour Hadi, que contam com o apoio da coalizão árabe.

A violência se agravou na região desde o começo do ano pela rivalidade entre os houthis e a tribo sunita dos Hajour, concretamente no distrito de Kushar, próximo a Mastaba.

Os rebeldes xiitas tomaram o controle de Kushar neste mês e centenas de pessoas abandonaram a zona pelos combates.

Residentes da região disseram à Agência Efe que os deslocados estão saindo a bordo de caminhões com seus pertences e se dirigem para o distrito litorâneo de Abs, por isso que os ocupantes do veículo atingido hoje poderiam ser pessoas que abandonaram seus lares.

O Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários da ONU (OCHA) para o Iêmen disse ontem que entre 9 e 11 de março morreram 22 pessoas, incluídas 12 crianças e 10 mulheres, em Kushar, mas os dados sobre vítimas não podem ser verificado pela falta de acesso à zona.

Além disso, nos passados seis meses, aumentaram os deslocados internos em Hayah, de 203 mil para 420 mil, segundo a OCHA. EFE