PUBLICIDADE
Topo

ONG diz que há 26 mortos em ataques no norte da Síria

14/03/2019 11h03

Cairo, 14 mar (EFE).- Pelo menos 26 mortes - entre eles nove prisioneiros - foram causadas pelos ataques feitos pela aviação militar em Idlib, no norte da Síria, contra a principal prisão da região e da qual fugiram dezenas de reclusos, informou nesta quinta-feira a ONG Observatório Sírio de Direitos Humanos.

A ONG afirmou que entre os 26 civis mortos há oito menores e duas mulheres, além de dezenas de feridos após os ataques de aviões não identificados contra Idlib.

Segundo o Observatório, com sede no Reino Unido mas que conta com uma ampla rede de colaboradores no terreno, uma das incursões aéreas teve como alvo "a prisão central" na cidade de Idlib, o que fez com que cerca de 80 prisioneiros fugissem.

A prisão é controlada pela Organização de Libertação do Levante, uma aliança islamita na qual se integra o ex-braço sírio da Al Qaeda e que domina a cidade de Idlib.

Por isso, e segundo a ONG, a aliança islamita posicionou suas unidades ao redor da cidade para capturar os prisioneiros que escaparam.

Conforme a Defesa Civil síria, conhecidos como Capacetes Brancos, os ataques foram feitos pela aviação militar russa.

O grupo de resgate que opera em regiões que não são controladas pelo Governo sírio publicou na sua conta do Twitter um vídeo no qual mostra a operação de resgate de um jovem que se encontrava sob os escombros de um prédio supostamente destruído pelos ataques.

O grupo informou que puderam salvar, até o momento, cinco pessoas afetadas pelos bombardeios contra as áreas residenciais na cidade de Idlib.

O Ministério de Defesa da Rússia tinha informado ontem em comunicado que sua aviação tinha destruído um arsenal jihadista na cidade síria de Idlib, operação que foi pactuada com a Turquia, sem dar detalhes sobre possíveis vítimas. EFE