PUBLICIDADE
Topo

Tel Aviv e outras cidades israelenses abrem refúgios antiaéreos

25/03/2019 15h47

Jerusalém, 25 mar (EFE).- Tel Aviv e outras grandes cidades de Israel, como Rishon Lezion e Bersebá, ordenaram a abertura dos refúgios antiaéreos diante da previsão de uma escalada de violência em Gaza, após o impacto de um foguete na última madrugada e a resposta com bombardeios israelenses, que teve início esta tarde.

Cidades da área de Sharon, como Herzliya, Kfar Saba, Ra'anana e Hod HaSharon, assim como Yavne, também ordenaram a abertura de refúgios públicos para os cidadãos, informou o portal de notícias "Walla".

O prefeito de Herzliya, Moshe Fadlon, pediu aos cidadãos que fiquem atentos ao noticiário e instruiu as equipes profissionais da cidade a se prepararem para uma emergência.

O exército de Israel começou a bombardear a Faixa de Gaza por volta das 18h (horário local, 13h em Brasília), atacando alvos militares e escritórios do Hamas no enclave, informou uma nota militar.

Os bombardeios israelenses também destruíram um edifício de três andares no bairro de Tzabra, onde funcionavam a sede secreta das Forças Gerais de Segurança do Hamas, sua Inteligência Geral e sua Inteligência Militar.

"O local é um edifício governamental central do Hamas, utilizado para fins militares e foi atacado ao mesmo tempo que outras localidades", afirmou o exército.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, antecipou nesta tarde o fim de sua viagem a Washington e iniciou seu retorno após o encontro com o presidente Donald Trump, que hoje assinou o decreto reconhecendo a soberania israelense no território sírio das Colinas de Golã, ocupado parcialmente por Israel desde 1967. EFE