Topo

Presidente do Sudão do Sul ameaça atirar com fogo real contra manifestantes

21/05/2019 12h37

Juba, 21 mai (EFE).- O presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, ameaçou nesta terça-feira atirar contra as pessoas que se atreverem a participar de manifestações contrárias ao governo, depois da convocação de protestos feita por ativistas.

Kiir alertou em discurso que, se os jovens se manifestarem contra o Poder Executivo, "isto poderia levar à morte de alguns se o governo decidir usar armas automáticas".

"Por que querem que gente inocente morra sem motivo?", questionou Kiir em discurso durante a apresentação de instalações para melhorar a conexão de internet no país.

O presidente afirmou que o gabinete não permitirá que "o caos se instale no país a partir do exterior" e acusou ativistas estrangeiros de incentivarem os protestos.

Essas ameaças chegam uma semana depois que grupos de ativistas convocaram, sem sucesso, manifestações em Juba através das redes sociais, para seguir o exemplo do Sudão, onde uma grande mobilização popular provocou a queda do presidente Omar al Bashir em abril.

As manifestações não tiveram sucesso devido ao forte dispositivo formado por efetivos do exército e da polícia nas ruas de Juba no dia da convocação, quinta-feira.

De acordo com alguns ativistas, as autoridades também fizeram uma campanha de detenções contra jovens que tinham participado da convocação nas redes sociais.

Em seu discurso, Kiir afirmou que "os jovens têm que evitar o mau uso das redes sociais" e pediu que os mesmos não sigam os ativistas que incitam as manifestações a partir do exterior. EFE

Mais Notícias