Topo

Maduro garante plano de abastecimento de alimentos apesar de sanções dos EUA

23/05/2019 22h57

Caracas, 23 mai (EFE).- O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, assegurou nesta quinta-feira que manterá o programa de venda de alimentos subsidiados vendidos pelos órgãos estatais conhecidos como CLAP, apesar de os Estados Unidos terem advertido que preparam novas sanções contra funcionários venezuelanos que supostamente lucraram com eles.

"O chefe do império anunciou que agora atacará o sistema CLAP, vai sancioná-lo, vai bloqueá-lo, como se nós não soubéssemos trabalhar e não pudéssemos garantir ao nosso povo seu CLAP", disse Maduro durante a abertura da primeira Feira de Inovação, Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia da Força Armada Nacional Bolivariana (FANB).

Nesta quarta-feira, o enviado americano para a Venezuela, Elliott Abrams, afirmou em entrevista à Agência Efe que os EUA manterão sua estratégia de sanções para debilitar Maduro.

"Não temos uma data anunciada sobre as sanções e as acusações (judiciais) que virão. Mas este é um crime real porque é o que os venezuelanos mais pobres necessitam para sobreviver. Eles sabem que este programa está corrupto, nós sabemos e estamos investigando os detalhes. E muito mais virá", destacou Abrams.

Neste sentido, disse que "definitivamente" os EUA anunciarão mais sanções em seu devido tempo e explicou que o Departamento do Tesouro americano investiga "há muito tempo" a suposta corrupção nos Comitês Locais de Abastecimento e Produção (CLAP).

Apesar disto, Maduro ressaltou que garantirá a sobrevivência dos CLAP que, segundo o próprio governante, já beneficiam mais de seis milhões de pessoas. EFE

Mais Notícias