Topo

Hernán Lacunza toma posse como novo ministro da Fazenda na Argentina

20/08/2019 10h41

Buenos Aires, 20 ago (EFE).- Hernán Lacunza tomou posse nesta terça-feira como novo ministro da Fazenda da Argentina, depois de ter sido designado pelo presidente Mauricio Macri após a renúncia de Nicolás Dujovne pelo "terremoto financeiro" surgido na semana passada nos mercados locais por causa da derrota do oficialismo nas primárias de 11 de agosto.

Em um breve ato na Casa Rosada, sede do Executivo argentino, Macri assistiu à posse de Lacunza, a quem agradeceu por aceitar tal responsabilidade "em um momento tão difícil na Argentina".

Macri considerou que Lacunza, formado em Economia e que, antes de dirigir a pasta da área, foi gerente-geral do Banco Central e do Banco Cidade, tem uma "profunda vocação de serviço e de coragem" por aceitar esta responsabilidade.

"Quero pedir que em cada decisão que tome nos próximos meses, sempre tenha o foco em cuidar dos argentinos", expressou o presidente.

Além disso, Macri também pediu que abra "todas as pontes e canais de diálogo possíveis com pessoas e setores para que juntos trabalhem" para reduzir as incertezas, que sempre prejudicam.

Após dias de rumores sobre sua saída do Governo, Dujovne apresentou no sábado sua renúncia em carta depois do terremoto financeiro surgido na última semana nos mercados locais em uma reação adversa dos investidores à derrota do oficialismo nas primárias, o que afastam as possibilidades de reeleição de Macri e colocam o peronismo a um passo de voltar ao poder.

Na carta, Dujovne afirmou que renunciou convencido de que, em virtude das circunstâncias, a gestão liderada por Macri "necessita de uma renovação significativa na área econômica".

Lacunza, de 50 anos, terá que fazer frente a enormes desafios diante da desvalorização do peso e da alta inflação, com uma alta acumulada nos primeiros sete meses deste ano de 25,1%, no entanto, os especialistas dizem que poderia rondar 50% neste ano a partir da instabilidade suscitada nos últimos dias.

Na semana passada, a pasta acumulou uma queda de 30%, enquanto o valor do dólar aumentou 23,3%.

Outro desafios de Lacunza será sustentar o acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI).

Dujovne, que esteve à frente da pasta da Fazenda desde janeiro de 2017, negociou e selou com o FMI no ano passado um acordo de três anos para um auxílio financeiro por US$ 56,3 bilhões, sob o compromisso de um forte ajuste fiscal. EFE

Mais Notícias