PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Esse conteúdo é antigo

OMS minimiza casos de reinfecção do novo coronavírus

Logo da OMS durante entrevista em Genebra; casos de reinfecção não preocupam OMS no momento -
Logo da OMS durante entrevista em Genebra; casos de reinfecção não preocupam OMS no momento

08/09/2020 01h27

A diretora técnica da Organização Mundial da Saúde (OMS) responsável pela covid-19, a americana Maria Van Kerkhove, destacou ontem que, por enquanto, os casos de reinfecção do novo coronavírus no mundo são "quase irrelevantes estatisticamente falando".

"Dos mais de 26 milhões de infecções registradas no mundo, houve apenas alguns casos de reinfecção, até agora não muito relevantes. Em todo caso, continuamos a estudá-los em conjunto com laboratórios de diferentes países", disse a especialista.

Van Kerkhove acrescentou que até agora está comprovado que os pacientes infectados com o coronavírus, mesmo aqueles que não apresentam sintomas, criaram anticorpos após uma ou duas semanas que representam uma certa imunização contra possíveis reinfecções, embora a duração desta seja desconhecida.

"Vemos resultados muito promissores, nos quais esta resposta (imunológica) dura vários meses, mas como estamos na pandemia há apenas oito meses, não podemos saber quanto tempo vai durar", admitiu.

Nos casos confirmados de reinfecção, incluindo um paciente de Hong Kong que viajou para a Espanha pouco antes de desenvolver a covid-19 pela segunda vez, os especialistas investigam que tipo de anticorpos se formaram em seus corpos depois de adoecer pela primeira vez e na segunda vez, acrescentou.

Questionada sobre as medidas que as escolas devem implementar para garantir o retorno seguro às salas de aula, Maria Van Kerkhove afirmou que "cada escola deve ter um plano específico de atendimento às crianças com doenças respiratórias, febre ou covid-19, e para rastrear contatos".

"O importante é que os planos sejam os mais claros possíveis e sejam bem comunicados aos pais, para que saibam o que fazer e quando", finalizou.

Saúde