PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Honduras confirma presença de cepas brasileira, britânica e sul-africana

25/06/2021 04h14

Tegucigalpa, 24 jun (EFE).- O Ministério da Saúde de Honduras confirmou nesta quinta-feira a presença no país das variantes Gama (Brasil), Alfa (Reino Unido) e Beta (África do Sul) do coronavírus e disse que até agora a cepa Delta, da Índia, não foi identificada.

"Informamos que o Laboratório de Virologia realizou uma amostragem de testes por protocolo das variantes Alfa, Beta e Gama, obtendo como resultados a presença das mutações de preocupação do Reino Unido, da África do Sul e do Brasil", declarou a chefe de vigilância epidemiológica do Ministério da Saúde hondurenho, Karla Pavon.

Pavón detalhou que os resultados das amostras enviadas ao Instituto Gorgas, do Panamá, confirmam a presença da variante da variante Alfa.

"Os resultados obtidos da sequência genômica das amostras enviadas identificam a variante B.1.1.519, considerada preocupante porque é predominante no México e está atualmente sob vigilância para determinar se é uma variante preocupante", detalhou a chefe de vigilância epidemiológica.

Segundo ela, com o apoio técnico da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), Honduras tem o que precisa para continuar a vigilância das ceps confirmadas no país.

O Laboratório de Virologia disse que até agora não identificou a variante do Delta em Honduras. Entretanto, as autoridades sanitárias continuarão enviando amostras para laboratórios de referência da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da OPAS na região, como o do Panamá, para aqueles que possam surgir.

O vice-ministro da Saúde de Honduras, Roberto Cosenza, declarou ontem que a presença da variante do Delta em Honduras não está descartada. "Pode ser que esta variante (Delta) esteja circulando no país, mas não temos a capacidade de confirmá-la, porque os estudos genômicos não estão sendo feitos no país", justificou.

A variante Delta é até 50% mais transmissível do que a Alfa, encontrado pela primeira vez no Reino Unido, devido a uma maior carga viral e capacidade de fuga imunológica, de acordo com o governo indiano.

O Ministério da Saúde de Honduras pediu para a população "continuar com a prática rigorosa de medidas de biossegurança, tais como o uso correto de máscaras, respeitando a distância física, higienização das mãos e uso de álcool em gel se possível".

Até agora, Honduras reportou mais de 255 mil casos de coronavírus e 6.840 mortes por Covid-19, de acordo com os números do Sistema Nacional de Gestão de Risco do governo.