PUBLICIDADE
Topo

Mulheres protestam contra violência de gênero na Venezuela

25/11/2021 20h17

Caracas, 25 nov (EFE).- Cerca de 30 mulheres se reuniram nesta quinta-feira em uma praça lotada em Caracas para protestar contra a violência de gênero na Venezuela, por ocasião do Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher.

"Na Venezuela também há violência machista e também violência estatal e isso não pode ser escondido. Não é um problema individual, os feminicídios são completamente evitáveis", declarou a militante Sujeidi Ochoa, integrante da organização feminista Pão e Rosas, durante o protesto.

A ativista Zuleica Matamoros, do coletivo feminista Juntas e à Esquerda, concordou com sua colega e reclamou à Agência Efe que não há figuras oficiais sobre esse assunto. "Isso mostra que não há vontade política para projetar políticas que possam visar a erradicação da violência de gênero", criticou.

As feministas destacaram em suas bandeiras e cartazes que, de acordo com a organização Utopix, na Venezuela houve 200 assassinatos de mulheres em 10 meses neste ano. "A cada 36 horas ocorre um feminicídio na Venezuela", denunciaram.

Além de levantar sua voz contra os feminicídios, as militantes também apelaram para a descriminalização do aborto e a erradicação da violência obstétrica.

As manifestantes apresentaram um documento ao Ministério da Saúde, localizado no oeste da capital venezuelana, no qual pediam a implementação de políticas que garantissem os direitos das mulheres.

No texto, lido à Efe por uma das ativistas, elas também exigiam que as taxas de mortalidade materna fossem publicadas, que o pessoal de saúde fosse treinado em direitos humanos. Além disso, querem que o cuidado oportuno e de qualidade para as mulheres seja garantido. EFE