Polícia australiana diz ter interrogado tesoureiro do Vaticano por acusações de abuso sexual

SYDNEY (Reuters) - A polícia australiana informou nesta quarta-feira que interrogou o tesoureiro do Vaticano, cardeal George Pell, nascido na Austrália, por relação com acusações de abuso sexual.

A polícia do Estado de Victoria disse que as investigações continuam como resultado de interrogatório em Roma na semana passada, mas se negou a dar mais detalhes.

Pell, que foi arcebispo na Austrália antes de assumir função no Vaticano em 2014, confirmou participação no interrogatório, mas negou as acusações.

"O cardeal repete sua negação anterior de todas e cada acusação de abuso sexual e irá continuar a cooperar com a polícia de Victoria até que a investigação seja finalizada", informou seu escritório em comunicado.

Pell, de 75 anos, testemunhou neste ano em inquérito do governo da Austrália sobre abuso infantil inconstitucional, no qual disse que a Igreja fez escolhas "catastróficas" ao se recusar a acreditar em crianças abusadas, alternando padres abusadores entre paróquias e confiando em conselhos de padres para solucionar o problema.

(Reportagem de Byron Kaye)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos